INDIVIDUAÇÃO FEMININA – a busca pelo autoconhecimento.

872

Você mulher, em busca do seu EU REAL, se é que ele existe de fato, está bem perto de você.

Um novo jeito de você se ver, e administrar sua vida.

Buscamos o que faz sentido, trazer esse sentido para realidade.

O que sentimos , o que pensamos e como nos comportamos, essa forma de viver a vida nos faz existir de um jeito único e ao mesmo tempo coletivo. Nem sempre entendemos e aceitamos, na maioria das vezes agimos, sem conhecer em nós mesmos os reais motivos de nossos movimentos.

 

A verdade é que quanto mais eu me conheço, quanto mais eu me controlo, mais poder eu tenho, mas feliz eu posso ser.

INDIVIDUAÇÃO é um processo de autoconhecimento, pela qual a pessoa opta por passar na vida, segundo Jung, psicólogo suíço é a pessoa em busca se si mesma, buscando compreensão e equilíbrio através da diferenciação psicológica com a finalidade de se encontrar como indivíduo, no meio em que vive.

individuacao3

Conhecer-se por inteira é um grande desafio para as mulheres, sendo muito comum a fuga do espelho, físico e da alma. Cada dia a busca pela perfeição leva estas mesmas a fazerem sacrifícios para estarem bem diante deste espelho, principalmente o físico. Uma constante busca de satisfação que não chega, ou que chega e fica pouco tempo na companhia destas guerreiras, que se permitem tantas cobranças de si mesmas e de uma eterna sociedade moderna e contemporânea. A que preço…

Ser inteira não deve ser confundido com ser perfeita, desmistificar estas palavras, tornou-se um desafio para todos nós mulheres e homens que convivem, escrever sobre ser inteira tornou-se algo pelo qual eu realmente quis entender e pesquisar, pois diante de tantas conquistas realizadas pelas mulheres, ano pós ano, estas mesmas vitoriosas, sentem-se brevemente preenchidas e na maioria das vezes sozinhas, incompletas e inexplicavelmente insatisfeitas.

A procura de seus pares e lugares as mulheres criaram um estereótipo do qual fica difícil manter a vida toda, pois ser vivo nenhum o poderia, pelo menos não na velocidade com estas esguias lutadoras propõem e a sociedade cobra.

Ter Foco diminui estas angústias, saber como Agir, medir e avaliar Resultados e Melhorar continuamente, é um processo. Torna-se preciso abrir mão de algumas coisas para ser conseguir outras, por incrível que pareça isto é ser inteira, realizar em partes e olhar o todo que se constrói, uma coisa de cada vez e apenas algumas simultâneas. Viver de forma inteira, significa escolher, decidir com clareza, e esta é a parte mais difícil: o que abrir mão, ou pelo menos saber quando abrir mão e trazer pra si, num outro tempo. É fazer valer o ditado: ” Saber perder um pouco para ganhar mais, talvez mais tarde, não agora”.

A consciência e lógica, na tomada de decisões nem sempre é considerada e quando tomamos decisões apenas emocionais corremos um risco grande de nos ferir ainda mais futuramente.

Parece difícil ver com olhar simples algo que nos é passado de geração em geração como sendo quase impossível.

Tantas cobranças vêm sendo feitas para este sexo forte, desde que resolveram lutar pelos seus sonhos e direitos. Numa constante tentativa de acertar, erros devem ser corrigidos a tempo, para que os resultados sejam positivos para a pessoa, para família, para sociedade.

As mulheres crescem e avançam no mercado de trabalho, e em seus negócios, muitas são os novos chefes de famílias. Nem sempre esta felicidade é completa, a solidão insiste, perguntam-se cadê meu companheiro, somos racionais e o amor ? O que se ganhou e o que perdeu?

Como conjugar tantos verbos e tantos papéis: ser mãe, ser filha, esposa, profissional, executiva, empreendedora, amiga principalmente e simplesmente mulher, uma pessoa. Esse é o caminho que a individuação leva aqueles que desejam encontrar-se.

Inteiras quando mulheres, inteiras quando esposas, inteiras quando mães, profissionais, pessoas e assim por diante, o segredo talvez seja não tentar ser tudo para ser alguém, pois ao tentar ser tudo acabamos nos perdendo, em busca da felicidade que não é chegada é caminho.

A inteireza ronda nossos sonhos, nossos andares, nossas saudades, nossas dores, elogios e verdades. A inteireza existe para mulheres que correm, que sabem chorar, que sabem parar, voltar e contar suas lindas e as vezes tristes histórias, com a doçura única de quem é capaz de pegar uma história e faze-la bela de todas as suas mais suntuosas formas, com os mais requentados gestos e também as mais simples maneiras. Protagonistas e não vítimas, mas grandes feras domadas pelo destino, que se cumpriu sem pedir licença pra entrar em suas vidas plenas e cheias de amores.

Sim, por que a mulher inteira ama, e ama muito e intensamente sabe amar e viver seu amor, a mulher inteira sabe contar, mesmo em silêncio seu delírio e sua dor.

A mulher inteira experimenta sorrir quando todos choram, experimenta chorar quando há silêncio, experimenta falar quando muitos calam, experimenta partir quando muitos ficam. Tantas então que não sabem sequer que é possível sim, mas há seu preço para seu valor. Nosso querer tem preço, mas se estivermos dispostos a lutar pelos nossos quereres então teremos por que morrer e pelo que morrer, deixando uma semente, um broto de nós para crescer.

Posso fechar os olhos e permitir que uma linda nuvem me ronde as ideias e escrever sobre meus lábios aquilo que eu quero que me fales, porém não poderei ser fiel a mim mesma quando eu disser o que realmente sinto, pois as vezes ser inteira é ser segredo, é ser parceira de um mistério.

Posso ainda abrir meus olhos e te escrever do que sinto, das formas mais variadas formas que sinto e devo estar, ainda assim estarei em descoberta da minha individuação, meu processo de reconstrução não para, nunca somos as mesmas, os segundos passam e nos transformamos a cada dia, mesmo sem uma devida ação estamos agindo.

Cuidar de ser inteira, ter uma boa saúde, um física inteiro, sentidos completos: olhos, língua, nariz, mãos, ouvidos e um coração que sente, seja forte ou seja fraco, que bata, que busca sua vida.

Simplifique não complique!

A vida pra nós não deveria ser lua diária, uma caça. Permitimos nos sentir matando um leão por dia, pisando num telhado de vidro, pegando o leão pelas unhas, pintadas, na moda, sem fazer barulho. Sempre linda, rsrsrsrs Ufa! Ah, se fizermos barulho, nos arrancam as palavras, a língua, a voz, nosso tudo se vai. Isso pode ser diferente, esta é a proposta da INDIVIDUAÇÃO.

Superação, sermos melhores, a cada dia, cada sempre, cada instante e é aí nestes pensamentos perdidos, vindo a consciência, de forma forte, que nos encontraremos pelos nossos mundos. Um mundo de mulheres que se encontram e que se completam na simbiose da vida.

Se nos sentirmos livres para nos conhecermos, seremos mais inteiras, por que a prisão é ignorante e fúnebre, adoece e afasta as pessoas, mesmo em seus pensamentos. Seja livre e faça todos em sua volta livres, ninguém deve ser prisioneiro de ninguém, assim entenderemos o que é SER INDIVÍDUO NUM MUNDO DE INCONSCIENTE COLETIVO.

Adm. ROBERTA GALVANI DE CARVALHO. Consultora Estratégica e  Master Coach, estudiosa do comportamento humano, desenvolve pessoas e empresas para o aumento de performance. www.galvanicarvalho.com.br – (63) 999731389.

Deixar um comentário