DONA PALMIRA INSPIRA… ela enfrentou a viuvez, o câncer, o colesterol e a preguiça. Aos 67 anos de idade, corre e vive a vida cheia de energia e lucidez.

2634

ELA INSPIRA… AOS 67 anos de idade, correndo e vivendo a vida.

Você acha que não consegue ?

Pois olhe esse exemplo maravilhoso de força de vontade e ESFORÇO pra viver melhor. Correndo há 11 anos, ela já perdeu 20 kg, e não toma remédio para colesterol, toma corrida, rsrs. Aos 67 anos de idade, mãe e avó dedicada, ela mostra como cuida da saúde e como tem disposição para vencer a vida e driblar as dificuldades.

15085672_10205817470154592_1581782503320513190_n

Conheci Dona Palmira correndo, sempre olhei pra ela como um exemplo e uma grande inspiração, sua história , mais inspiradora ainda. Ela é carismática, humilde, simples, batalhadora, cheia de energia e de vida… UMA GRANDE MULHER.

Nascida em Tiros-MG, em 13-05-1949, de uma família humilde, os pais eram lavradores, com nove filhos, todos foram criados um ajudando o outro, e nosso pai nos serviços da roça, com o engenho de cana e fazendo farinha.

Quando tinha cerca de 14 anos mudou-se para a cidade de Mozarlândia,  no Estado de Goiás, continuou trabalhando com meus pais na roça e nos afazeres da casa.

Apesar das dificuldades, uma família muito unida e feliz, sempre juntos em oração e trabalhando. Apesar dos pais não terem muita formação escolar, sempre lutaram para educar os filhos da melhor maneira que puderam, foram pais exemplares e em tudo procuravam nos ensinar com sua humilde sabedoria de vida.

Após algum tempo, mudou-se para uma outra cidade também no Goiás, no município de Pilar, foi nesta cidade que conheceu o esposo Benedito, também lavrador. Casou-se e tiveram 3 filhos lindos e saudáveis, que são eles Eliete, Elton e Anete.

 

A FAMÍLIA…

Juntos construiram uma família feliz, assim como aprendera com seus pais. Exemplo é tudo. Passando os ensinamentos para os filhos, e procurando buscar mais conhecimento, para dar uma melhor educação para eles.

No decorrer do tempo moraram por um período em Brasília, onde ela trabalhou como diarista, e o esposo trabalhou em uma empresa de limpeza urbana. Foi quando pode proporcionar um pouco mais de estudo para nossos filhos. Alguns anos depois mudaram para Araguatins no Tocantins, onde trabalharam no campo e com lavoura.

Aos 39 anos, com os filhos ainda adolescentes, ficou viúva.   Continuou morando em Araguatins até eles se tornarem adultos.

Todos os filhos se casaram e deram a Palmira 5 lindas netas, todas saudáveis e inteligentes, são elas Arlete e Antoniete filhas de minha primogênita Eliete, depois veio a Daiany filha de minha caçula Anete, depois a quarta neta Antoniete e por fim a neta caçula Daielly, filha do Elton.

img_1133 img_1129img_1130

No ano de 1994, mudou-se com todos para Palmas, onde uma das irmãs já morava há algum tempo, nessa ocasião os pais também se mudaram com ela, pois minha mãe havia ficado paralítica, em decorrência de um derrame, há mais de 16 anos, e precisava de muitos cuidados. Então ficando todos juntos facilitava os cuidados, alguns meses depois  veio uma outra irmã também para Palmas, onde reside hoje em 2016.

Ao chegar em Palmas, começou a trabalhar com encomendas de salgados, de onde fazia seu sustento. Juntou dinheiro e conseguiu comprar a minha casa onde vive.

Em 1996 sua mãe veio a falecer, no dia 01 de setembro, neste mesmo ano em outubro descobriu que tinha câncer de mama, e no mês de novembro,dia 18 fez a cirurgia em Goiânia, onde graças a Deus correu tudo bem. Essa foi mais uma de suas vitórias, dentre tantas que Deus lhe deu. Nunca mais teve complicações em relação ao câncer, e hoje depois de mais de 20 anos, sente-se privilegiada por ter vencido cada batalha da vida.

O DESAFIO…

Em 2006, por motivos de um colesterol muito alto, o médico recomendou remédios para se tratamento. A segunda opção de tratamento, e foi a prática constante de exercícios. Nesta ocasião Palmira pesava 73 kg, daí decidiu começar a correr. Inicialmente corria dentro de um lote mesmo, ia e voltava por varias vezes até o portão. Depois o espaço já lhe parecia pequeno e começou a correr na calçada da rua de casa. Porém procurava sempre correr de madruga, pois tinha vergonha de ser vista pelos vizinhos e conhecidos.

img_1128

Um tempo depois, o genro Antonio Lopes, que já praticava o atletismo, convidou-a para participar da primeira corrida dos bombeiros em Palmas, que aconteceria no dia 02-07-2006 e ela muito danada aceitou o desafio. Ficando marcada como a primeira de muitas corridas que disputaria e disputa.

A PAIXÃO PELA VIDA E PELA CORRIDA…

Neste momento, Palmira teve sua Paixão despertada para corrida, tanto o reconhecimento das pessoas, como o bem estar físico, lhes proporcionaram querer cada vez mais estar envolvida no esporte, que hoje é realmente uma grande paixão e um orgulho onde tem conquistadas 116 medalhas e 25 troféus, e cada um deles tem sua historia. Cada um deles fizeram Palmira ser reconhecida como a vovó do atletismo em Palmas.

img_1127

Durante este primeiro, contato com o atletismo Palmira fez grandes amizades, com atletas não só de Palmas, mas também de todo o Estado do TO. Todos tornaram-se grande família, sempre apoiando uns aos outros.

CONQUISTAS…

Palmira já fez muitas viagens, para correr junto com os amigos em outras cidades, inclusive viajou algumas vezes para correr a tão sonhada São Silvestre. Ganhou muitos prêmios. Sente-se rodeada de pessoas muito queridas, que fizeram e fazem parte desta história no atletismo, são muitos e nem tem como citar nomes, mas é grata a todos.

img_0603 img_0604

“Gostaria de lembrar do saudoso Vergílio Coelho e toda sua família, que foram um grandes incentivos, inclusive para a primeira vez que fui para a São Silvetre, os agradeço  imensamente. Nessa época meu já era idosa, e eu sempre fui conciliando as corridas com o cuidar, pois Deus me deu a graça de poder cuidar tanto de minha mãe, quanto de meu pai . Foram muitos anos cuidando dele também, até que no dia 27 de março de 2014 ele veio a falecer aos 93 anos de idade.”

img_1132

Depois disso Palmira continuou as corridas, e afirma também que o ano de 2016  mais precisamente o dia 11 de junho ficou marcado, pois foi convidada para ser uma das condutoras da tocha olímpica, o que fez com muita honra.

Hoje em 2016, com 3 bisnetas, Antonella, Yasmim e Ana Júlia, faz parte da WINNES, que é uma acessória esportiva, onde eu faz treinamentos funcionais 3 vezes por semana e recebe deles um apoio muito grande nas corridas. Assim como também o apoio da Fundesportes.

12744622_1765006530389684_3517742643291340237_n

Na alma ela é a mais jovem de todas as jovens.

AGRADECIMENTOS …“Agradeço imensamente a cada um. Fora estes funcionais que faço em equipe, faço também treinos diários e espero que ainda venham muitos outras corridas para serem vencidas.”

Dona Palmira é uma mulher de muita fé.

img_11241 img_11251

O corpo ela cuida correndo, e se alimentando bem,  a cabeça ela cuida fazendo seus trabalhos voluntários e continua correndo. Ela me passa nas corridas e some…rsrsrs.

img_1123 12717765_1765006533723017_8229399771456631477_n

4 COMENTÁRIOS

  1. Dona Palmira é um exemplo de determinação e alegria. Tive a oportunidade de conviver com ela durante alguns dias no curso de Individuação Feminina. Ela inspira ternura e nos faz refletir,cara a cara com nós mesmos…basta tomar a decisão correta e por em pratica. Meu sentimento pela senhora é de gratidão.

  2. Que história de vida, li até o final emocionada, dona Palmira que determinação e força que a senhora tem. Foi maravilhoso sentar ao seu lado no curso e ver esse sorriso lindo estampado no rosto. Feliz por ter conhecido pessoalmente e agora saber um pouquinho da sua história. Lindo!!!

  3. Dona Palmira e exemplo me lembro como hoje da minha primeira corrida eu ja estava pensado em desistir no meio do caminho onde dona Palmira passou por mim como todo gaz naquele momento me animei e voltei a correr e concluí a prova .

Deixar um comentário